Notícias

Missa da Impressão das Chagas de São Francisco reuniu inúmeros fiéis

Inúmeros fiéis participaram da celebração eucarística da impressão das chagas de São Francisco. (Foto: Martha Silva/PASCOM)
Inúmeros fiéis participaram da celebração eucarística da impressão das chagas de São Francisco. (Foto: Martha Silva/PASCOM)

A Igreja Matriz de Rio Paranaíba recebeu inúmeros fiéis que participaram da celebração eucarística da festa da ‘Impressão das Chagas de São Francisco’, já como parte da 13ª Festividade Religiosa de São Francisco das Chagas, padroeiro do munícipio. Com a participação das comunidades urbanas, Pe. Wesley Balbino explicou o sentido e o significado das chagas que São Francisco recebeu no Monte Alverme.

Como gesto concreto, a Paróquia São Francisco das Chagas surgiu que as mulheres levassem um quilo de farinha de trigo e os homens, um litro de óleo, os quais serão utilizados na confecção dos pastéis durante a 13ª Festividade Religiosa de São Francisco das Chagas, que começa na próxima semana.

Ao término da celebração eucarística, os fiéis e o sacerdote saíram em procissão com a imagem de São Francisco. Ao retornarem à Igreja Matriz, Pe. Wesley convidou todos a erguerem a mão em direção a imagem do padroeiro da cidade e rezarem em suas intenções pessoais, comunitárias e familiares.

Ao encerrar a Celebração Eucarística, o pároco agradeceu a presença das comunidades rurais e urbanas e a participação de todos no gesto concreto que foi proposto.

Recentemente em entrevista com nossa reportagem, o bispo diocesano, Dom Cláudio Sturm explicou o significado das chagas de São Francisco. Segundo ele, São Francisco teve a sua experiência espiritual mística e procurou sempre seguir Jesus Cristo, que caminho, verdade e vida.

“São Francisco de Assis ele teve a sua experiência espiritual mística e procurou sempre seguir Jesus Cristo. O grande desejo dele era imitar Jesus Cristo, caminho, verdade e vida. O grande desejo dele ainda era viver o Cristo pobre, com os pobres ele como pobre, tinha um desejo profundo de experimentar ao menos um pouco no seu corpo o que era o sofrimento do Cristo crucificado. São Francisco pediu essa graça, rezando. Passou a noite no Monte Alverme e de repente aparece um serafim, que com raios de luz e de fogo o perpassaram as mãos, os pés e lado de São Francisco e lhe ficara impressas as chagas de Cristo. Assim, ele pode sentir nos tempos de sua vida o que era o sofrimento de Cristo na sua paixão e morte”, disse Dom Cláudio.

Texto: Gilberto Martins – Editor e Graduando em Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.