Dom Claudio fala sobre os assuntos tratados durante a Assembleia dos Bispos em Aparecida

Depois de 10 dias de intensos trabalhos, estudos, debates, votações, entre outros compromissos, a 56ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil teve seu encerramento na manhã desta sexta-feira (20), em Aparecida (SP).

Este ano, o encontro anual dos Bispos discutiu a formação dos presbíteros da Igreja no Brasil. Muito do que foi refletido pelos Bispos indica que a Igreja no Brasil deve se preocupar com toda a vida do sacerdote, desde a entrada no seminário até o momento da morte e, que além disso, merece ser personalizada.

Dom Claudio Nori Sturm, Bispo da Diocese de Patos de Minas, participou da Assembleia e apresenta alguns pontos fundamentais que foram abordados: a formação dos presbíteros, a presença e a atuação da Igreja no mundo urbano, o papel e o protagonismo do cristão leigo na Igreja, os desafios na evangelização dos jovens e a situação da grave instabilidade política, econômica e social que o Brasil enfrenta.

Formação dos Presbíteros

Sobre o tema central proposto para essa Assembleia, Dom Claudio salientou o rico e valioso material elaborado e aprovado pelos Bispos. Sobre a formação dos presbíteros, foi citado o projeto Igrejas Irmãs que desde a década de 1970 realiza acordos fraternos entre dioceses em torno de colaborações, sobretudo missionárias, no qual dioceses que têm mais estrutura oferecem ajuda às dioceses mais necessitadas. Em Patos de Minas a diocese acolhe os jovens seminaristas da Diocese de Parintins – AM e Januária – MG que estão em processo de formação.

A presença e a atuação da Igreja no mundo urbano

Dom Claudio destacou a necessidade da Igreja ir ao encontro dos fiéis em suas diversas localidades dentro do meio urbano. Seja nas cidades ou nas comunidades rurais, é imprescindível fazer chegar a Boa Nova do Evangelho a todos, sendo que sacerdotes, ministros e leigos são de fundamental importância para o anuncio da Palavra de Deus.

O papel e o protagonismo do cristão leigo na Igreja

A importância do leigo na Igreja foi em diversas vezes abordada. Os Bispos presentes concluíram que o leigo é convidado a assumir o protagonismo na vida da sua comunidade, sendo apoiado pelos sacerdotes e reafirmando a sua missão de anunciantes da Boa Nova. Dom Claudio afirma que o protagonismo não deve ser confundido com o que pertence as atividades pertinentes dos párocos e vigários, mas que o leigo deve ser luz em seu meio, e exemplo para os demais.

Os desafios na evangelização dos jovens

Outro tema muito debatido entre os Bispos foi os desafios da evangelização dos jovens na Igreja, e a necessidade de dar voz aos anseios e opinião dos jovens. Na Assembleia Geral foram eleitos os delegados para o sínodo da juventude que acontecerá em Outubro. Sobre os jovens Dom Claudio faz um pedido especial: “Assim como o Papa Francisco nos convida a ouvir e acolher os jovens e leva-los a sério, eu peço a todos os sacerdotes que acolham os jovens em suas paróquias, que procurem aproximar-se dos jovens e que os adultos possam dar mais espaço para os jovens exercerem o seu protagonismo dentro da comunidade”.

Situação da grave instabilidade política, econômica e social que o Brasil enfrenta

Dom Claudio aponta que durante a Assembleia Geral os Bispos enviaram uma carta para o Papa Francisco onde citaram a grave instabilidade política, econômica e social que o Brasil enfrenta e que também atinge a vivência eclesial. A Igreja também é chamada a estar em constante oração pelas necessidades da Igreja e pelos sofrimentos de uma multidão de irmãos e irmãs mergulhados nas situações de guerra, violência, perda de direitos, desemprego, miséria e fome em várias partes do mundo. Dom Claudio cita que “Não podemos aceitar expressão de ódio, vingança e desrespeito à pessoa humana. Por isso convido a todos os fiéis a estarem em constante oração pela dignidade humana e pela superação da violência.”

Após os primeiros dias de assembleia, os Bispos se reuniram para um retiro espiritual. O momento de espiritualidade aconteceu no último final de semana (14 e 15 de abril). O Bispo Emérito da Prelazia do Marajó, no estado do Pará, Dom José Luiz Azcona, foi o pregador oficial.

Os bispos aprofundaram os desafios de ser santo no mundo de hoje com o foco na realidade dos bispos do Brasil. O retiro foi um momento para a meditação sobre a vida pastoral de cada bispo, assim como, para pedir o auxílio de Deus às dioceses.

Fonte: PASCOM Diocese de Patos de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *