ArtigosCatequeseComunidadesFormaçãoPastoraisslide

XX Encontro Nacional da Pastoral da Educação vai discutir os desafios do ensino público do Brasil

XX Encontro Nacional da Pastoral da Educação vai discutir os desafios do ensino público do Brasil

   Com as aulas suspensas desde abril em todo o país por causa da pandemia da Covid-19, milhares de estudantes tiveram do dia pra noite que se adaptar ao estudo online e o grande desafio foi manter a regularidade dos estudos pela internet. De repente ter que lidar com uma nova forma de aprendizado, à distância, mediada pela tecnologia dos computadores e celulares não foi uma tarefa fácil para as escolas, país, educadores e para as próprios alunos.

  Essa nova realidade mostrou as desigualdades e dificuldades de acesso à internet para famílias de baixa renda e ou àquelas que vivem em regiões onde o sinal não chega. Sem contar, que a maioria das escolas, especialmente as públicas, não têm estrutura para oferecer ensino remoto. O mesmo vale para professores, muitos nunca tinham se aventurando no ensino à distância ou online.

  O desafio da educação pública no Brasil diante das aulas online é uma realidade que vem sendo debatida desde a suspensão das aulas presenciais. Este é um tema que será debatido, de forma virtual, no XX Encontro Nacional da Pastoral da Educação nos próximos dias 11 e 12 de setembro.

   O encontro tem como tema “Igreja em Saída: A Pastoral da Educação na Escola Pública”. É realizado pelo Setor de Educação da Comissão de Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com a Associação Nacional de Educação Católica, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) e a FTD Educação.

Dom Pedro Cruz

O bispo de Campanha (MG) e referencial para educação no regional Leste 2 da CNBB, dom Pedro Cruz, aponta os desafios e perspectivas para uma ação pastoral na Escola Pública com um olhar para esse ‘novo normal’.

   “Diante dos desafios pelos quais atravessamos no campo ético e humanitário, devemos motivar os educadores na promoção de uma educação capaz de aprimorar a pessoa humana, ressaltando seus valores morais e seus direitos invioláveis. Tal objetivo só será atingido numa atitude de abertura, diálogo e respeito ao outro”, disse.

   Dom Pedro ressalta ainda que a educação ocupa um espaço primordial na vida do homem e sempre contribuiu com o progresso social de cada época e que “consciente do pluralismo da sociedade moderna, a ação pastoral na escola pública deve assumir este espaço como um desafio e uma ‘saída missionária’, despertando o sentido de uma educação capaz de humanizar e formar pessoas para a sociedade”.

   O bispo lembra que a proposta do Pacto Educativo Global proposto pelo Papa Francisco é um caminho que motiva a ocupar os “pátios educativos públicos” pelo diálogo amplo, recíproco e fraterno; sempre visando o Bem Comum. “Talvez seja este o melhor e mais motivante caminho de uma Pastoral da Educação que traga luz à emergência educativa que estamos vivendo”, disse dom Pedro.

A realidade do ensino no Brasil

  Dados do levantamento de 2017 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) mostram que sete estados (AM, RR, PA, AP, BA, RJ e SP) e o Distrito Federal tiveram queda nos resultados do ensino médio. O Ideb é o principal indicador sobre a qualidade do ensino no Brasil.

Os dados mostram ainda que, ao considerarmos todo o país, somente os anos iniciais do ensino fundamental alcançaram as metas intermediárias definidas para o ano passado. Todo o ensino médio e os anos finais do ensino fundamental ficaram abaixo e apresentaram queda em ao menos um cenário.

Foto de capa: Marcelo Camargo/Agência Brasil