Várias atividades marcam o dia da Consciência Negra em Rio Paranaíba

Foto: Gilberto Martins/PASCOM
Foto: Gilberto Martins/PASCOM

A Pastoral da Consciência Negra realizou nesta quinta-feira (20), várias atividades espirituais no dia em que foi dedicado à Consciência Negra em todo Brasil. Várias pessoas se reuniram ao longo do dia para rezarem na Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

A programação começou às 07 da manhã com a Hora Mariana e logo depois, às 12 horas, aconteceu a recitação do Ofício de Nossa Senhora, o qual foi cantado pelos presentes. Já no período noturno, houve a recitação do santo terço, celebração eucarística e ainda um jantar para os participantes.

Com grande participação dos fiéis, o pároco de Rio Paranaíba, Pe. Wesley Balbino ressaltou em sua pregação que ‘aceitar ou praticar o preconceito, é ajudar a construir uma sociedade individualista e egoísta, onde a cultura do desamor, do desrespeito, da intolerância e da inversão de valores encontra um terreno cada vez mais fértil para prosperar’. O sacerdote ainda falou sobre o racismo em sua pregação e destacou que o racismo surge porque somos especialistas na arte do desamor, da exclusão, da indiferença e do preconceito. “Racismo é uma assinatura de quem não aprendeu amar a própria vida, as pessoas mais próximas e aquilo que faz. Racismo é o caminho mais curto para a infelicidade. Racismo é a pobreza do amor. Racismo surge quando você coloca condições para amar. Não coloque condições para amar. O que vence o racismo e o preconceito é o amor. Liberte-se do racismo. Liberte-se do preconceito. Viva o amor. Viva o respeito. Viva o perdão. Viva a igualdade”, afirmou.

Após a celebração eucarística, Pe. Wesley convidou a todos para saírem em procissão até a Rua Dona Maria Terna, onde foi dada a bênção final da celebração e servido um jantar, preparado pelos agentes da Pastoral da Consciência Negra. O terno de congada de Rio Paranaíba animou a procissão.

O dia da Consciência Negra tem como objetivo fazer uma reflexão sobre o relevo da cultura e do povo africano e o impacto que tiveram na evolução da cultura brasileira. Sociologia, política, religião e gastronomia entre várias outras áreas, foram profundamente influenciadas pelas culturas negra e africanas. É dia de comemorar e mostrar profundo apreço pela cultura afro-brasileira. A data ainda homenageia o Zumbi, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de Novembro de 1695.

Texto e fotos: Gilberto Martins

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: